Refrescos pagos para esconder link com obesidade




Uma das principais causas do aumento da obesidade no mundo é a ingestão excessiva de bebidas açucaradas, algo que colocou os refrigerantes em crise.

refugiados-pagos-para-esconder-link-de-obesidade-2

Devido à recomendação de reduzir o consumo de refrigerantes, as empresas adotaram algumas ações ilícitas para evitar a perda de renda, de acordo com um estudo

Pesquisadores da Universidade de Boston revelaram que as duas maiores empresas de refrigerantes nos Estados Unidos, Coca-Cola e PepsiCo pagaram para esconder os vínculos entre bebidas e obesidade.

Embora entre 2011 e 2015, ambos financiaram 96 organizações nacionais de saúde e, ao mesmo tempo, conspiraram contra 29 contas de saúde pública que visavam reduzir o consumo de refrigerantes ou melhorar sua qualidade.

“Eles usaram seus relacionamentos com organizações de saúde para desenvolver uma associação positiva para suas marcas”, explica Daniel Aaron , co-autor do estudo.

Acrescenta que os refrigerantes foram responsáveis ​​por neutralizar todo tipo de oposição legislativa que invoca a dependência financeira das organizações nacionais de saúde.

Associações que receberam pagamentos

A pesquisa mostra que 12 organizações de saúde e instituições públicas no campo médico receberam dinheiro de ambos, um só aceito da Pepsico e 83 recebidos apenas da Coca-Cola.

Além disso, é especificado que entre as associações estão duas que combatem o diabetes: a American Diabetes Association e a Research Foundation for Juvenile Diabetes.

“Foi um achado surpreendente dado o vínculo entre diabetes e consumo de refrigerantes”, disse o relatório.

Por outro lado, entre 2011 e 2014, a empresa vermelha investiu mais de 6 milhões de dólares por ano nessas práticas, enquanto sua competição gastou mais de 3 milhões de dólares no mesmo período de tempo.

No entanto, no final de 2015, a Academia de Nutrição e Dietética e a Academia Americana de Pediatria, decidiu não continuar a participar dessas práticas.

Eles não são as únicas empresas

Refrescos não são as únicas empresas que apresentaram práticas de corrupção, já que existem outras que fizeram o mesmo.

Em março, anunciou-se que as empresas açucareiras pagaram enormes quantidades de cientistas para culpar a gordura pela obesidade e problemas cardíacos e não açúcar.