“Primeiro lugar do México na obesidade infantil”: Ahued




Nos últimos anos, a obesidade e o excesso de peso em crianças tem aumentado, de modo que o México ocupa o primeiro lugar no mundo , uma situação que reduz a expectativa de vida até 10 anos , por isso é necessário derrubá-lo, informou a secretária de Saúde na Cidade do México, Armando Ahued Ortega .

mexico-primeiro-lugar-obesidade-infantil-ahouto-2

Ele observou que, além da questão do peso, há outro problema de saúde que enfrentamos: gravidez em meninas e adolescentes com idades compreendidas entre os 11 anos, bem como o consumo de álcool e drogas que começa aos nove anos de idade.

O funcionário comentou a necessidade de integrar nos currículos uma questão relacionada à saúde, mas como é um assunto que tem a ver com a Secretaria de Educação Pública (SEP) e o ensino, pode-se avançar na edição de panfletos, trípticos e livros alusivos.

“Isso deve nos fazer refletir, agir e trabalhar nesse sentido”, disse ele.

Ele explicou que, devido ao progresso tecnológico e na medicina, ao desenvolvimento da infra-estrutura e da água, no país, ganhamos expectativa de vida, mas pela primeira vez enfrentamos o “dilema” de perder 10 anos pelas doenças relacionadas à obesidade e sobrepeso

“Se hoje temos 78 anos de expectativa de vida, nossos filhos podem viver 68 anos e que não podemos e não devemos aceitar, mas para isso temos que trabalhar”, disse ele.

Ele enfatizou que você deve trabalhar com pais, irmãos e professores para ensinar às crianças como o corpo humano é, como mantê-lo e os problemas ou riscos associados à saúde.

Em relação à saúde sexual e reprodutiva, Armando Ahued mencionou que com o programa ” El Médico en tu Casa”, as mulheres grávidas foram registradas desde os 11 anos de idade, por isso pediu que abordasse esse problema com crianças e conversasse sobre sexualidade.

“Quando vemos uma garota de 11, 12 ou 13 anos grávida boa, eu sinto vontade de chorar e eu digo: é injusto, é uma injustiça que isso aconteça”, ele revelou, além de criticar a mídia, revistas e publicações que “lucro” com o tema sexual.

Ele acrescentou que a questão dos vícios é alarmante, pois há crianças de nove, 10, 11, 12 e 13 anos que fumam e bebem álcool, quando não devem ter acesso a ela.

Ele enfatizou a necessidade de informar as crianças sobre os efeitos do álcool e do tabaco , porque neste país morre 90 mil pessoas por ano por diabetes, mais de 60 mil por fumar e 50 mil por álcool, por acidente ou por problemas hepático