Transtornos alimentares aumentam no país




O Centro de Estudos para o Avanço da Mulher e a Igualdade de Gênero (Ceameg) revelou que, nos últimos 20 anos, os distúrbios alimentares no México aumentaram até 300%, principalmente em adolescentes entre 14 e 19 anos. anos, por isso é necessário agir a este respeito.

aumentar-os-disturbios-alimentares-no-pais-2

De acordo com o relatório “Anorexia e bulimia no México” apresentado pelo Ceameg, em 95% dos casos, uma dieta rigorosa é seguida e 90% das pessoas que a realizam são mulheres, devido à obsessão que têm sobre as suas imagem do corpo

Esses distúrbios aumentam o ano, 20 mil novos casos em adolescentes, que se sentem preocupados em engordar, comer demais ou perder o controle do que é engolido.

Outro setor altamente vulnerável é o de atletas como ginastas olímpicas, bailarinas de balé ou patinadores em nível profissional, porque antes das demandas de ter um peso adequado, eles são submetidos a dietas rígidas que têm impacto na saúde.

Além disso, o Ceameg revelou que cerca de 25% das mulheres entre 15 e 18 anos, param de comer por até 12 horas por medo de engordar.

No caso dos homens, 18,6% tomaram comprimidos para perder peso e um em cada 10, vomitaram com o mesmo objetivo.

Um dos recursos mais utilizados pelos jovens para perder peso são os diuréticos , que foram consumidos por 11,3% das mulheres e 6,2% dos homens.

O Ceameg indicou que a bulimia ea anorexia são fenômenos complexos em que vários fatores, como históricos e socioculturais, influenciam principalmente as idades mais jovens.