Circuncisão, igual à prevenção do câncer




A circuncisão é um método eficaz para prevenir várias infecções e até mesmo cânceres do pênis, seja por vírus ou bactérias.

circuncisao-igual-a-prevencao-do-cancer-3-2

O Dr. Mario Almanza González, anexo ao Serviço de Urologia do Hospital Geral do México, indicou que, tendo em vista os benefícios que a circuncisão representa, os médicos sugerem que seja realizada durante os primeiros meses de nascimento, especialmente se a mãe observar que o prepúcio (pele que cobre o pénis) fecha-se, cobre completamente o pênis e evita o deslizamento do tecido, pois isso causa infecções urinárias, bem como dor e inflamação. É um procedimento, enfatizou, que não representa nenhum risco e é feito em apenas 30 minutos.

Ele também recomendou que, ao tomar banho de bebês, mobilize o prepúcio, para saber se desliza corretamente. Se há dor ou qualquer outro desconforto, é necessário que você vá ao urologista ou pediatra e, portanto, tenha um diagnóstico oportuno.

O especialista esclareceu que a circuncisão pode ser realizada em qualquer fase da vida humana, porque o objetivo é prevenir infecções virais ou bacterianas do órgão genital masculino, o que pode ocorrer em qualquer idade, especialmente por falta de higiene.

Ele explicou que a pele genital é susceptível a infecções, portanto, o pênis deve ser cuidadosamente lavado e seco, para evitar que a umidade favorece um ambiente favorável para a proliferação de vírus, bactérias e fungos.

Ele enfatizou que, quando o problema não é corrigido na infância, na idade adulta é complicado, uma vez que, juntamente com a falta de higiene, tem vários parceiros sexuais de cada vez e pode sofrer infecções graves do vírus do papiloma humano, herpes genital e câncer. pênis

Ele especificou que o câncer do pênis tem entre seus antecedentes a promiscuidade sexual e o desenvolvimento de processos infecciosos para o papilomavírus humano. Esta situação também faz com que o macho se torne um transmissor de infecções sexuais, como a candidíase (um fungo comum que coloniza a cavidade vaginal das mulheres), o vírus do papiloma humano e a clamídia, que são as primeiras causas das doenças sexualmente transmissíveis. (Fonte: Ministério da Saúde)