Simone Biles sofre de transtorno de déficit de atenção




Foi anunciado recentemente que a ginasta Simone Biles , está incluída no programa de Isenção de Uso Terapêutico (TUE) da Agência Mundial Antidopagem (AMA), uma vez que toma medicamentos para o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

simone-biles-sofre-de-transtorno-de-deficit-de-atencao-2

A notícia foi divulgada devido a um ataque cibernético sofrido pela AMA pelo grupo espião russo chamado Tsar Team (APT28), também conhecido como “Fancy Bear”.

A AMA confirmou a notícia na terça-feira e também explicou que a Simone havia submetido a documentação adequada para entrar na AUT e que não havia infração. Os jogadores de tênis Serena e Venus Williams, bem como a bola de basquete Elena Delle Donne, também aparecem no TEU.

“Eu tenho TDAH e me medicando por isso não é algo para se envergonhar ou temer que as pessoas saibam”, a ginasta respondeu através de sua conta no Twitter.

O que é TDAH?

Esta desordem neurobiológica que, como seu nome diz, faz com que as crianças tenham déficit de atenção, hiperatividade e / ou impulsividade.

O TDAH ocorre na infância e, infelizmente, não desaparece com a idade, além dos sintomas mudam à medida que os anos passam.

Quais são os sintomas?

Nem todas as crianças apresentam os mesmos sintomas ou com a mesma intensidade.

Alguns só podem enviar um dos seguintes:

  • Predominante falta de atenção
  • Hiperatividade predominante e impulsividade
  • Combinação de hiperatividade e falta de atenção

Estudos indicam que a partir da adolescência, os sintomas podem ser mais cognitivos e menos externos ou hiperativos, o oposto do que acontece na infância.

Há pouca informação

Esse distúrbio é mais comum do que se acredita, mas não há muito conhecimento sobre o assunto.

Um estudo realizado em Espanha indica que apenas 4% dos entrevistados conheciam o TDAH, enquanto 33% acreditavam que era devido a um ambiente familiar ou escolar desorganizado.

Angel Terrón, psicólogo e fundador da entidade psicoeducativa Educatdah, explica que a acusação de doping para Biles e outros atletas é apenas uma amostra da falta de conhecimento sobre o transtorno e seu tratamento.

“O desempenho físico de um atleta com TDAH não vai ser aumentado pela medicação, o que vai aumentar é a concentração deles para alcançar níveis normais”. Se eles não deixassem medicar eles estariam sendo discriminados, pois não competiriam em igualdade de condições. condições que aqueles que não sofrem deste transtorno “, explica.