Razões para praticar bodypump




O BodyPump é um sistema de treinamento baseado na prática do levantamento de peso, criado por Phillip Mills na Nova Zelândia, comercializado pela Les Mills International. Esta fantástica opção pode ser acessada em mais de 80 países e em cerca de 14 mil clubes internacionais.

E é que encontramos numerosos estudos que abundam no fornecimento de evidências relacionadas ao impacto na saúde que tem a prática sistemática de atividade física. E, para esse efeito, encontramos programas e programas. Alguns mais bem sucedidos do que outros, quase todos com resultados benéficos. Mas dentro destes se destaca bodypump.

Este programa bem sucedido consiste em oito melodias ou “faixas”; que durante 60 minutos você irá fazer diferentes grupos de músculos. Também possui uma trilha dedicada a criar as condições propícias, que identificamos como o estágio de aquecimento, com o qual começa e outro com o qual a sessão de treinamento está fechada, isto é, no final da aula que nos serve para relaxar e alongamento.

@ Que grupos musculares trabalham com o bodypump?

razones-para-practicar-bodypump
Este programa bem sucedido consiste em oito melodias ou “faixas”; que durante 60 minutos você irá fazer diferentes grupos de músculos. Também possui uma trilha dedicada a criar as condições propícias, que identificamos como o estágio de aquecimento, com o qual começa e outro com o qual a sessão de treinamento está fechada, isto é, no final da aula que nos serve para relaxar e alongamento.

razones-para-practicar-bodypump

Como pode ser visto na tabela acima, será possível apreciar as modificações existentes de acordo com o tempo dedicado ao cumprimento das rotinas fornecidas em cada pacote, ou 30; 45 ou 60 minutos de duração e os diferentes grupos musculares envolvidos.

Assim, descobrimos que em cada melodia ou faixa há um gradiente de atividade física que nos permite definir qual grupo muscular é acentuado no estágio. Todos os músculos da anatomia humana participam do estágio de aquecimento. Isto é caracterizado por ter uma leve carga.

Seguem-se a chamada fase de agachamento em que as nádegas e os quadríceps estão envolvidos e caracteriza-se pelo desenvolvimento com uma carga elevada. Em seguida, nos concentramos no tórax com a participação do peitoral maior e menor, do serratus anterior e dos deltoides.

Os músculos das costas são colocados em ação na próxima série de exercícios envolvendo as nádegas, o reto da coluna vertebral, o trapézio, o romboid, o deltóide posterior e o dorsal largo. É dada especial atenção ao bíceps e ao tríceps que ocupam a atenção imediatamente no caso dos lotes específicos para estes músculos.

Seguem-se a rotina chamada impulso, específica para glúteos e quadríceps. Os ombros, exercícios que são executados, são projetados para mobilizar o trapézio superior e os deltóides.

A atenção aos abdominais, consiste em trabalhar com o percurso do abdômen, maior reto e oblíquo.

Feche os exercícios chamados de alongamento, consistindo em criar as condições para concluir o treino e passar para o estágio de relaxamento e conclusão de um dia, pois parece intenso, mas frutuoso, que determina as preferências para este programa.

Aqui está um vídeo para você ver mais detalhado …