A Cúrcuma Causa Pedras Nos Rins?




a-crcuma-causa-pedras-nos-rinones

Sabe-se que a curcumina é utilizada como agente antioxidante, anti-inflamatório, anticarcinogênico, antiartrítico e neuroprotetor; como ingrediente em protetores solares e outros produtos para cuidados com a pele; ou como o tingimento de tecidos.

Entretanto, seu consumo tem sido apontado como fator de risco para o desenvolvimento de cálculos renais, devido ao seu conteúdo de oxalato.

Portanto, mostraremos os riscos que existem nos rins quando consumimos esta especiaria e para os quais é necessário tomar as precauções necessárias.

Leia o nosso guia sobre os 12 benefícios da cúrcuma para sua saúde

Qual É O Papel Da Cúrcuma Em Pedras Nos Rins?

Os oxalatos são compostos naturais presentes nos alimentos, essenciais para certas funções metabólicas.

Entre os alimentos mais ricos nessas substâncias estão:

  • Ruibarbo
  • Chocolate
  • Espinafre
  • Beterraba
  • Amêndoas
  • Castanha de caju
  • Amendoim

No entanto, quando o consumo de oxalatos é excessivo, parte desses compostos não são excretados e se acumulam no organismo, favorecendo a formação de cálculos renais.

Em suma, açafrão pode aumentar o risco de desenvolver pedras nos rins apenas em casos de consumo excessivo por indivíduos que são propensos a formar seixos nos rins.

Se você tomar uma colherada de açafrão por dia, não há problema.

Pessoas sem a tendência acima podem tirar o máximo proveito dos benefícios da cúrcuma sem risco para sua saúde, ingerindo-a nas doses apropriadas.

Existe Um Estudo Que Liga A Cúrcuma A Cálculos Renais?

cientifica

Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, intitulado “Efeito da canela e açafrão sobre a excreção urinária de oxalato, lipídios plasmáticos e glicose plasmática em indivíduos saudáveis” liga o consumo de cúrcuma com uma maior tendência para desenvolver cálculos renais.

Neste estudo, os participantes receberam diariamente por 4 semanas 2,8 gramas de cúrcuma e 3 gramas de canela, outro composto rico em oxalatos.

Nesta investigação, é necessário especificar o seguinte:

  • No total, a carga de oxalato fornecida aos participantes foi de 55 mg, excedendo o limite diário recomendado, que é de 50 mg.
  • Oxalatos fornecidos pela cúrcuma foram significativamente maiores do que os fornecidos pela canela.
  • Isto deveu-se ao facto de os oxalatos de canela formarem compostos de cálcio, que são mal absorvidos pelo organismo.

Com esses resultados, os autores do estudo sugeriram que o consumo de cúrcuma poderia ser um importante fator de risco para a formação de cálculos renais em pessoas suscetíveis.

Em relação à conclusão anterior, vale ressaltar o seguinte:

  • O estudo usou açafrão em pó e não o extrato padronizado de curcumina, que é pobre em oxalatos.
  • As doses usadas foram consideravelmente maiores do que aquelas que seriam ingeridas em uma dieta normal que inclui açafrão.
  • A experiência indica que indivíduos saudáveis ​​que consomem uma quantidade razoável de açafrão diariamente não desenvolvem pedras nos rins.
  • Um consumo excessivo de cúrcuma pode aumentar o risco de formação de pedra nos rins em pessoas suscetíveis ao seu desenvolvimento.

Leia o nosso guia sobre dicas de limpeza e cuidados para os rins

Existe Alguma Pesquisa Que Rejeite A Anterior?

Preocupada com as informações acima, a empresa Sabinsa Corporation, fabricante de um extrato padrão de curcumina (Curcumin Complex C3), ordenou uma investigação sobre o teor de oxalatos em seu produto e em outros com teores de açafrão.

O complexo C3 é uma fórmula patenteada da Sabinsa Corp. que contém:

  • Entre 70 e 80% de curcumina.
  • Entre 15 e 20% de demetoxiurcumina.
  • Entre 2,5 e 6,5% de bisdemetoxiacurina.

A investigação analisou o teor de oxalatos em três amostras, obtendo os seguintes resultados:

  • Açafrão em pó seco (teor de oxalato: 0,27%).
  • Açafrão em pó concentrado (9%).
  • C3 Complexo de Curcumina (0,025%).

Comparando o estudo que aponta potenciais riscos no uso da cúrcuma com aquele feito pela Sabinsa Corporation, pode-se concluir o seguinte:

  • O teor de oxalatos no pó seco de cúrcuma utilizado no primeiro estudo excede abismalmente o presente no C3 Curcumin Complex.
  • A dose recomendada do complexo C3 é de 500 mg por dia, o que equivale à quantidade de curcumina presente em 30 gramas de açafrão em pó.
  • A dose recomendada de C3 apenas fornece 0,025 mg de oxalatos.
  • O conteúdo de oxalato no C3 Curcumin Complex está mais de 80 vezes abaixo do limite aceitável.

Em resumo, a investigação da Sabinsa Corp. indica que:

  • O Complexo C3 Curcumina, em doses adequadas, não aumenta o risco de formação de cálculos renais, mesmo em indivíduos com susceptibilidade de desenvolvê-los.
  • A presença de oxalatos no complexo C3 é ainda menor do que a encontrada em alguns alimentos comuns que contêm esses compostos.

É Verdade Que A Curcumina Pode Até Prevenir Pedras Nos Rins?

homem-doutor

A curcumina possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, dois atributos farmacológicos que a tornam protetora dos rins.

Uma avaliação publicada pela Farmacognosia Research estudou o impacto de antioxidantes de rotina e curcumina na saúde renal.

Esta análise constatou que a suplementação de ambos os compostos regularizou os níveis de cálcio e oxalato na urina.

Outro achado importante foi que a rotina e a curcumina ajudaram a reduzir os danos nos rins causados ​​pela litotrícia, o procedimento usado para degradar as grandes pedras nos rins para que as pedras menores possam ser expelidas.

Qual É A Melhor Maneira De Consumir Cúrcuma?

Pimenta ajuda a ativar os compostos de açafrão e óleo vegetal facilita a sua absorção.

A dose recomendada de massa de ouro é entre uma e duas colheres de chá 2 vezes ao dia. Pessoas propensas a desenvolver pedras nos rins devem limitar o consumo a uma colher de chá por dia, sendo aconselhável consultar o médico com antecedência.

O consumo de suplementos de açafrão em pessoas saudáveis ​​sem tendência a desenvolver cálculos renais não deve exceder entre 400 e 600 mg, 3 vezes ao dia, e é aconselhável consultar o médico antes de iniciar a suplementação.

Leia também o que seria a dose diária de açafrão que você pode consumir

Existe Alguma Outra Precaução A Considerar?

homem-pensando3

Outras precauções a ter em conta com o consumo de açafrão são:

  • Deve ser evitado em casos de problemas gástricos, pois pode acentuá-los.
  • Deve ser evitado durante a gravidez e lactação.
  • Deve ser suspenso duas semanas antes da cirurgia, pois aumenta ligeiramente o risco de sangramento.
  • A suplementação deve ser evitada em casos de cálculos biliares.

Além disso, açafrão pode interagir com alguns medicamentos (anticoagulantes, antidepressivos, redutores de ácido do estômago e medicamentos para diabetes), então você deve consultar o médico antes de consumir ambos.

Você sabia os benefícios da cúrcuma e as precauções que devem ser tomadas com o seu uso?

Compartilhe este artigo com seus contatos e não se esqueça de nos enviar seus comentários.

Veja Também: