Empresas de açúcar culparam gorduras de doenças cardíacas coronárias




Durante anos, considerou-se que as doenças coronárias surgem devido ao abuso de gorduras ; No entanto, essa idéia foi impostas por moinhos de açúcar que, na década de 1960, pagaram por isso.

empresas-de-acucar-culparam-doencas-coronarias-gordas-2

Um estudo realizado pelo Dr. Stanton A. Glantz , da Universidade da Califórnia, Estados Unidos, afirma que, depois de ter acesso a documentos internos da Sugar Research Foundation (SFR), agora a Sugar Association , descobriu-se que naquele momento As fábricas de açúcar pagaram aos pesquisadores a culpa de gorduras por problemas coronários.

Os trabalhos incluíram conversas entre a organização e um professor de nutrição na Universidade de Harvard, que naquele ano foi co-diretor do primeiro programa de pesquisa de doença cardíaca coronária da fundação.

O Dr. Glantz afirma que, em 1965, o SFR realizou pesquisas sobre doenças coronárias onde se concentraram na gordura e colesterol na dieta, minimizando a idéia de que o açúcar era um fator de risco.

Indústria influencia estudos de nutrição

Após essa descoberta, Stanton e sua equipe de colaboradores descobriram que, embora a pesquisa tenha quase 50 anos, os relatórios atuais ainda têm a influência das indústrias alimentícias.

“Este equilíbrio histórico dos esforços da indústria demonstra a importância de ter opiniões escritas por pessoas sem conflitos de interesse e com transparência na informação financeira”, indicaram.

Pouca evidência de fábricas de açúcar

Apesar da descoberta, os pesquisadores reconhecem que não há provas diretas de que a indústria açucareira tenha mudado a revisão do “New England Journal of Medicine”, o jornal onde o estudo foi publicado.

Eles apontam que os documentos e documentos obtidos apenas mostram uma “visão pequena” das atividades da indústria e o papel de outras organizações, como alimentos, não foi analisado.

“Servir como um aviso aos políticos, pesquisadores, editores de revistas e jornalistas sobre a necessidade de considerar o dano à credibilidade quando se trata de estudos financiados por empresas de alimentos com interesses adquiridos nos resultados.” Devemos encontrar melhores maneiras de financiá-los e para gerenciar potenciais interesses conflitantes “, enfatizou o Dr. Marion Nestlé, MD , da Universidade de Nova York.